Emarosa assume seu lado popzão e sai para o abraço

Emarosa – Peach Club (2019) Por Gabriel Sacramento Peach Club é o fim de uma trilogia fundamental para o Emarosa, que começou com o bom Versus (2014) e seguiu com o fantástico 131 (2016). Essa fase marca a redefinição da banda de Kentucky depois da intensa troca de membros. O guitarrista ER White é o […]

“thank u, next”, da Ariana Grande, era realmente necessário?

Ariana Grande – thank u, next (2019) Por Gabriel Sacramento Mais ou menos dois meses depois do lançamento de sweetener no ano passado, circulavam rumores de que Ariana Grande já estava escrevendo um novo álbum. No final de 2018, houve uma notícia que já estava pronto, mas o selo não iria lançar. Pois bem, seis meses […]

Sharon Van Etten experimenta com propriedade em novo disco

Sharon Van Etten – Remind Me Tomorrow (2019) Por Gabriel Sacramento O termo “experimental” está virando um grande clichê de sentido geral no meio do jornalismo musical. Isso ocorre principalmente porque o termo tem sido subjugado à total subjetividade: se um artista utiliza leves elementos diferentes em seu disco, ensaia uma mudança para uma nova […]

“Assume Form”, do James Blake, é melancólico e bem produzido

James Blake – Assume Form (2019) Por Gabriel Sacramento Recentemente, vi um texto sobre um estudo que afirmava que o pop está ficando triste. De fato, a pesquisa é interessante e provou que essa onda tem sido crescente nos últimos anos, no entanto, a tristeza sempre foi um combustível e fonte de inspiração para a […]

Disco de estreia da Tallies é um como um sonho inesquecível

Tallies – Tallies (2019) Por Gabriel Sacramento A Tallies é uma daquelas gratas surpresas que você encontra por aí sem querer na internet e que só te faz sorrir em cada audição. É como estar preso por bastante em um sonho bom que você teve, mesmo depois de horas de acordado. Aliás, é por isso […]

Jamie Cullum prova mais uma vez que é possível ser criativo com covers

Jamie Cullum – Song Society Playlist (2018) Por Gabriel Sacramento A carreira musical de Jamie Cullum é uma prova de que é possível ter algo a dizer, e expressar isso de uma forma consistente, com interpretações de canções compostas por outros artistas. Enquanto digito isso, me lembro dos crooners antigos que utilizavam bastante esse artíficio, […]

Mumford and Sons volta ao folk em “Delta”

Mumford and Sons – Delta (2018) Por Gabriel Sacramento O Mumford and Sons está de volta ao folk. Como um filho ingrato que saiu da casa dos pais, percebeu que a vida era trágica e triste lá fora e voltou arrependido. No entanto, a história da banda é um pouco diferente da do filho pródigo […]

“Origins” é o Imagine Dragons no piloto automático

Imagine Dragons – Origins (2018) Por Gabriel Sacramento Sempre digo que existe uma barreira entre o ouvinte e todo álbum que ele se dispõe a ouvir. Essa barreira não é intransponível, evidentemente, pois ela é derrubada sempre que os artistas/bandas manipulam bem nossas emoções e se conectam conosco de uma forma mais próxima. Seja com […]

Em “Honey”, Robyn surpreende ao surpreender

Robyn – Honey (2018) Por Gabriel Sacramento Quando a gente pensa que a Robyn não vai mais surpreender, ela supera expectativas. Depois de ter anunciado uma mudança na musicalidade, daquele estilo orientado a uma forma de R&B bem datada para um pop fortemente eletrônico e contemporâneo, a cantora sueca impressionou meio mundo com um super […]

Kurt Vile, “Bottle It In” e o poder dos dedilhados

Kurt Vile – Bottle It In (2018) Por Gabriel Sacramento Dedilhar um instrumento é a arte de executar notas de um acorde na sequência hierárquica deste. Com dedilhados, artistas facilmente podem confundir o ouvinte com relação às dimensões harmônicas e melódicas de um arranjo, afinal, as notas ganham um destaque especial, como se fossem uma […]