Novo disco do James Morrison exalta a beleza da simplicidade

James Morrison – You’re Stronger Than You Know (2019)

Por Gabriel Sacramento

Para quem acha que o pop formato-canção está em crise e não consegue mais oferecer boas experiências, James Morrison desafia suas convicções. O cantor-sensação que explodiu na terra da rainha com um disco promissor em 2006, o ótimo Undiscovered, continua sem desapontar. E seu novo disco, You’re Stronger Than You Know, é marcante justamente por ser leve e simples. É o sucessor do Higher Than Here, que apareceu por aqui em 2016 e foi lançado em 2015.

A principal diferença dessa obra em particular é o fato de que o britânico contratou apenas um produtor: Mark Taylor. Taylor já tinha trabalhado com James e conseguido resultados interessantes, portanto, a parceria não é algo novo. Nos discos anteriores, Morrison soava sempre muito diversificado, quase como se não quisesse um só foco, mesmo que deixasse claro o potencial para a música soul, que foi sua parte de sua formação musical por conta da influência de sua mãe.

O produtor impõe uma visão que associa as convenções do soul com o pop moderno, sendo que nunca deixamos de compreender o disco como uma criação típica do século 21. Em alguns momentos, as referências ao clássico são evidentes, mas são feitas sem que haja uma viagem temporal de fato. Uma abordagem que me lembra um pouco o que o Ed Sheeran costumava fazer. A produção também trabalha muito bem as suas principais minas de ouro: as melodias e os vocais do cantor.

Os arranjos são lineares, fazendo com que as canções andem retas, sem grandes e inesperadas curvas, nem pausas. O fluxo de dinamismo é definido pelas escolhas melódicas do James e pela interação entre seus vocais e os backing-vocals. Por isso, as interpretações do vocalista são cruciais para o investimento do ouvinte. Morrison sempre entrega o máximo possível, com suas técnicas perfeitamente calibradas e um senso de honestidade cortante.

Além disso, estamos falando de mais um disco que sabe começar muito bem: a faixa de abertura “My Love Goes On” é uma daquelas canções que grudam na cabeça e só saem com cirurgia. Tem a participação de Joss Stone, outra ótima cantora britânica conhecida como uma revivalista do soul. As duas vozes não harmonizam perfeitamente, e isso é justamente o que causa uma boa impressão: o conflito entre os timbres gera energia e combina muito bem com o instrumental alto-astral.

Com poucos momentos dançantes, o disco foca bastante na veia “crooner” do britânico, com baladas emocionantes e intimistas. As melodias são marcantes, possuem um ar de solenidade e de contrição e estabelecem um clima agradável de calmaria e candura. No tracklist, o único ponto fora da curva é “Slowly”, que flerta um pouco com uma atitude mais insurgente, mas nada muito diferente da proposta das outras faixas.

A mixagem do disco é de Michael Brauer, o mesmo engenheiro que trabalhou em Encore (2018), do Anderson East. Mas, se no disco do East, o mixer explorou referências óbvias ao soul clássico, como o clássico wall of sound e o relacionamento entre instrumentos típicos, como metais, em You’re Stronger Than You Know, ele remove todo o peso da massa sonora, reforçando a leveza das composições na formatação pontual dos instrumentos. É interessante reparar no timbre do baixo, por exemplo: está presente e forte, mas sem muito volume e corpo. Isso confere uma cara única ao disco e ressalta o bom trabalho de Mark Taylor no comando do projeto.

You’re Stronger Than You Know é um disco belíssimo que ressalta a beleza da música captada na simplicidade e na obviedade das convenções típicas do pop formato-canção. Essa linearidade artística é libertadora e garante que a atenção do ouvinte seja canalizada para o grande talento do nome escrito na capa. Em um mundo em que tudo é tão complexo, um entretenimento pessoal e direto é bem-vindo de vez em quando.

 

 

Gabriel Sacramento Autor

Programador, leitor assíduo e viciado em música de todos os tipos. Acredita que se há uma esperança para este mundo maluco e caótico, ela pode ser colocada na forma de melodias gentis, harmonias eficazes e um ritmo marcante. https://twitter.com/gabrielsacr https://medium.com/@gabrielsacramento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.